Estruturas de suporte a atividades de relação com a natureza

Esta faixa do litoral, pela morfologia do fundo marítimo e pela qualidade das correntes e condições marítimas, oferece condições para a prática de diversos desportos de mar, dos quais se destaca o surf, cuja procura tem aumentado, e que dinamiza um setor significativo de turismo. Para além desta modalidade, as características gerais do território são também favoráveis à prática de outros desportos de natureza que importa dinamizar.

 

Pretende-se, assim, criar infraestruturas e equipamentos de apoio à prática de desportos e atividades de lazer realizadas no parque natural (pedestrianismo, orientação, escalada, rappel, parapente, hipismo, canoagem, surf, windsurf, mergulho e BTT), dinamizando estas atividades permitindo simultaneamente a (re)descoberta dos valores naturais e marinhos caracteristicos desta faixa litoral.

S. Torpes

Morgavel

Porto Covo

Malhão

Praia de Odeceixe

Amoreira

Monte Clérigo

Vale Figueiras

Praia da Bordeira

Praia do Amado

Praia da Cordoama

Praia do Castelejo

Praia da Ponta Ruiva

Praia do Telheiro

Praia do Beliche

Praia do Zavial

Praia do Martinhal

Praia do Tonel

Estruturas de apoio
a desportos de natureza

Conceção das instalações tipo para apoio à prática de surf, windsurf e kitesurf, a implantar ao longo da área de intervenção do Polis Litoral Sudoeste nas localizações que vierem a ser definidas conjuntamente com o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e com as Administrações Regionais Hidrográficas do Alentejo e Algarve, dando resposta à procura crescente pela prática desta modalidade e contribuindo para a consolidação de um setor específico do turismo na região.

 

O projeto foi realizado na sequência do lançamento de um concurso público e visa, simultaneamente, garantir a segurança e conforto dos utilizadores, a manutenção da integridade biofísica dos locais em que os equipamentos se inserem e a criação de uma imagem de conjunto de referência, associada ao valor ambiental da envolvente.

 

A nível funcional, o objeto arquitetónico é constituído por módulos, permitindo a composição de três tipos de estruturas de apoio, com cerca de 50 m² a 85 m² de área coberta, albergando as seguintes funções: receção, aluguer de material, balneários/vestiários/wc, zona de primeiros socorros, guarda de equipamentos, oficina de pequenas reparações e, opcionalmente, uma zona destinada a socorros a náufragos ou à venda de alimentos pré-confecionados.

 

Na conceção das estruturas de apoio foi dada particular atenção à imagem inovadora e sustentabilidade energética do edifício, à sua adaptabilidade a terrenos com diferentes características e aos custos de implantação e manutenção.

28.183 €

 

INVESTIMENTO
PROJETO

Atelier do Beco da Bela Vista

FINANCIAMENTO

Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia

 

ALJEZUR
 

Centro de interpretação
do Pontal da Carrapateira

Empreitada concluída

Criação de um “museu vivo” na zona da Carrapateira, capaz de gerar atração e que contribua para a promoção dos recursos endógenos da região através da valorização do património natural, histórico e cultural, baseado na estruturação de um percurso expositivo inovador, integrando três locais:

 

Pontal da Carrapateira

Valorização do percurso existente, propondo-se a identificação e divulgação do património e a sensibilização e promoção de diferentes atividades de interação com o espaço envolvente, através da criação de doze estações temáticas interativas com recurso a totens informativos e ao sistema QR Code;

 

Pontos notáveis da Aldeia da Carrapateira

criação de um roteiro de percursos temáticos com recurso à colocação de sinalética e mobiliário urbano, evidenciando os pontos notáveis da aldeia, designadamente a capela histórica, o forte da Carrapateira e o largo do Mercado.

154.768,00 €

 

INVESTIMENTO
PROJETO

Cusca, curious minds

CENOR - Projeto de execução de suporte dos 2 painéis informativos e dos 11 totens /letra e das respetivas fundações

EMPREITADA

Ambienti D'Interni Unipessoal Lda - Fornecimento, transporte e montagem de estruturas de apoio.

FINANCIAMENTO
PROJETO

Estruturas de apoio
ao autocaravanismo

Desenvolvimento de um regulamento ilustrado que permita a implementação de uma rede de estruturas de apoio ao autocaravanismo nos concelhos de Sines, Aljezur e Vila do Bispo, fomentando a criação de locais próprios para esta modalidade de estadia, que sejam mais favoráveis do ponto de vista ambiental, mas também da sua atratividade, contribuindo para o desenvolvimento turístico da região.

 

O regulamento ilustrado define os critérios para a elaboração dos projetos das áreas de serviço para autocaravanas, assegurando um conceito integrado em termos de funcionamento e imagem das várias estruturas, através da tipificação dos elementos que as compõem e dos citérios para a sua implementação e funcionamento, em articulação com os parques de merendas e zonas de estada. Este documento contempla ainda uma proposta de área de serviço tipo, incluindo estimativa orçamental.

 

As áreas de serviço para caravanas, destinadas exclusivamente ao estacionamento e pernoita de autocaravanas por um período não superior a 72 horas, serão implantados em localizações a definir conjuntamente com o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e com os municípios, sendo dotadas de todos os serviços básicos de apoio, designadamente abastecimento de água potável e de energia elétrica, saneamento, ecoponto e proteção, entre outros.

28.183 €

 

INVESTIMENTO
PROJETO

Atelier do Beco da Bela Vista

FINANCIAMENTO

Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia

 

 
PROJETO

96.888,00 €

 

INVESTIMENTO

Requalificação e valorização dos parques de merendas e zonas de estada existentes ao longo da área de intervenção do polis Litoral Sudoeste, com o objetivo de, colmatando as deficiências identificadas, incentivar o usufruto e lazer destes espaços, tornando-os atrativos e dinamizadores do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

 

Com base no levantamento dos 17 parques existentes na área do Parque Natural e atendendo às condicionantes legais existentes e aos instrumentos de gestão territorial em vigor, foi definido um conceito e, consequentemente, várias tipologias de intervenção, que abrangem:

  • Limpeza geral da área de intervenção e preparação do terreno;

  • Colocação de mobiliário urbano e equipamento adequado (fogareiros, mesas e bancos, ilha para conteres de RSU, delimitadores de trânsito e guarda-corpos/vedações, entre outros);

  • Colocação de sinalética informativa e de trânsito;

  • Plantação de árvores, preservação da vegetação autóctone e controlo das espécies invasoras.

As soluções adotadas e os materiais utilizados têm em consideração as características dos locais, assim como critérios de durabilidade e sustentabilidade, assegurando uma imagem atrativa e comum a todos os parques de merendas.

Estruturas de apoio
ao recreio e lazer
 

BOAVENTURA AFONSO - Estudos, Projectos e Consultoria Ambiental, Lda.

 

Empreitada concluída

DECOVERDÍ - Plantas e Jardins,Lda.

 

EMPREITADA
Acionistas
Financiamento

Polis Litoral Sudoeste, Sociedade para a Requalificação e Valorização do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, S.A.(em liquidação)

Rua Serpa Pinto, n.º 32

7630-174 Odemira

 

geral@polislitoralsudoeste.pt

Tel 283 300 050

Fax 283 322 130

© 2014 Polis Litoral Sudoeste.

by CDB, Designing Business

Picture4.png