Proteção e recuperação de sistemas dunares e arribas

Manutenção e reposição das condições naturais
do ecossistema costeiro que assegurem a sua estabilidade biofísica e minimizem situações de risco, de bens e pessoas, por via de medidas corretivas de erosão que passam pela restrição e balizamento de acessos viários e pedonais nestas zonas sensíveis.

 

No estudo de caracterização elaborado foram identificados 11 locais de intervenção prioritária.

clique no mapa para conhecer as intervenções
Saber mais
ODEMIRA
 

VILA NOVA DE

MILFONTES

Empreitada concluída

Desassoreamento do rio Mira

A intervenção de transposição de sedimentos da foz do rio Mira para reforço do cordão dunar e alimentação artificial da praia da Franquia visa a mitigação da erosão destas zonas balneares e consequentemente a minimização do risco para pessoas e bens.

Para além do reforço cordão dunar e do incremento da qualidade da zona balnear esta ação irá permitir o desassoreamento do principal canal do rio Mira permitindo diminuir a intensidade das correntes junto às praias, principal agente erosivo, e ainda a melhoria das condições de navegabilidade no canal principal do estuário, na sua porção terminal.

 

Inclui as seguintes ações:

  • Reforço do cordão dunar e alimentação artificial da praia da Franquia, incluindo a instalação de sistemas de retenção sedimentar, a reformulação do acesso pedonal e o encaminhamento das águas pluviais provenientes da drenagem da estrada marginal;

  • Reforço do cordão dunar da praia das Furnas;

  • Dragagens no canal principal do rio Mira, na zona adjacente á praia da Franquia;

FINANCIAMENTO

WW - Consultores de Hidráulica e Obras Marítimas, S.A.

 

PROJETO
INVESTIMENTO

1.319.017,52 €

 

Estudo hidromorfológico na foz do rio Mira

Levantamentos topo-hidrográficos

Levantamentos arqueológicos

Análise de sedimentos

Estudo de Impacte Ambiental

ESTUDOS COMPLEMENTARES
EMPREITADA
Antes
Antes
Depois
Depois
Depois

Adjudicatário - MOTA ENGIL, S.A.

Fiscalização - PENGEST, S.A.

 

 

 
ODEMIRA

Zambujeira
do Mar

Empreitada concluída

Consolidação de Arribas na Zambujeira do Mar

As intervenções de estabilização/consolidação das arribas na praia da Zambujeira do Mar visam dar resposta à correção de situações problemáticas de erosão costeira, no sentido da eliminação, redução ou controlo do risco e salvaguarda de pessoas e bens, minimizando o risco associado à instabilidade das arribas e repondo o equilíbrio deste sistema natural

 

A intervenção recai sobre a arriba confinante com a frente urbana da Zambujeira do Mar entre a Capela de Nossa Senhora do mar e o acesso á praia da Zambujeira e visa sanar os fenómenos de instabilização por tombamento e por cunha, que colocam em risco bens e pessoas, quer na base - ao nível da praia - como no topo da crista da arriba – ao nível do espaço público da Zambujeira do Mar.

Inclui as seguintes ações:

  • Saneamento da arriba de blocos potencialmente instáveis;

  • Aplicação de uma rede pregada e a realização de enchimentos e reperfilamento de reentrâncias da arriba com betão ciclópico, que irá permitir suster materiais rochosos evitando o seu tombamento;

  • Recuo do muro na crista da arriba, que irá permitir a diminuição de cargas sobre zonas sensíveis;

  • Instrumentação e observação da arriba, permitindo acompanhar a evolução dos fenómenos de erosão.

FINANCIAMENTO

JetSJ - Geotecnia, Lda.

 

1.377.942 €

 

INVESTIMENTO
PROJETO
EMPREITADA
Antes
Depois
Depois
Durante

Adjudicatário - OLIVEIRAS - Engenharia e Construção, SA.

Fiscalização - FERREIRA & MOREIRA, Arquitetura e Engenharia, Lda.

 

 

 
ALJEZUR

Praia de Odeceixe

Empreitada concluída

Reforço do cordão dunar na praia de Odeceixe

Teve por principal objetivo implementar um conjunto de soluções para minimizar o processo erosivo que se tem vindo a registar na praia de Odeceixe e o acentuado processo de deterioração do cordão dunar.
 
As obras realizadas incluíram:

 

  • Reforço, a norte do cordão dunar, por movimentação de areias por meios mecânicos;

  • Colocação de duas linhas de recuperadores dunares;

  • Revegetação dunar com espécies autóctones;

  • Recuperação de passadiços de acesso aàs zonas de utilização balnear;

  • Recuperação e reforço da escada e rampa de acesso à praia na zona poente.

142.734,12 €

 

INVESTIMENTO
Depois
Antes
Antes
Depois
FINANCIAMENTO
EMPREITADA

Adjudicatário - LUÍS FRAZÃO, S.A.

Fiscalização - GL - Coordenação e Gestão de Projetos, Lda.

 

 

PROJETO

ORIGEM DAS FORMAS, Serviços de Engenharia, Unipessoal, Lda.

 

Aceder ao Mar
Preservando a Terra

 

A abordagem conceptual  do projeto assenta no princípio  "Aceder ao Mar Preservando a Terra" que se traduz nas seguintes tipologias de intervenção:

  • proteção costeira,

  • contenção dos focos de degradação,

  • inibição da utilização desregrada das arribas  promovendo a regeneração natural da vegetação, e

  • recuperação dos sistemas naturais degradados.

 

Entre outros, estão previstos as seguintes trabalhos:

  • balizamento de arribas e de zonas de risco;

  • recuperação da vegetação natural endémica;

  • controlo/ erradicação de espécies exóticas invasoras;

  • delimitação e relocalização de zonas de circulação e de estacionamento automóvel;

  • regularização e delimitação de caminhos pedonais, construção de miradouros e de acessos;

  • colocação de sinalética (leitores de paisagem, placas sinalizadoras de risco e sinalética de orientação de trânsito).

Empreitadas concluídas
PROJETO

2.376.000€

 

INVESTIMENTO

Adjudicatário: Luis Frazão, S.A.

Fiscalização empreitada na região do Algarve: Pengest, S.A.

Fiscalização empreitada na região do Alentejo: VHM, S.A.

EMPREITADA

Consórcio

BIODESIGN - Arquit. Paisagista, Planeamento e Consult. Ambiental, Lda.,

LCW Consult e

Bio3 - Estudos e Projetos em Biologia e Valorização de Recursos Naturais, Lda.

 

ESTUDOS COMPLEMENTARES

Levantamento topográfico

Levantamento cadastral

POVT:            1.719.791€

M.Ambiente:   656.210€

FINANCIAMENTO
SINES
 

São Torpes
a Morgavel

A inequívoca insuficiência de lugares de estacionamento para a procura durante os meses da época balnear tem implicado uma ocupação indevida de áreas naturais o que contribui para a progressiva degradação ambiental e paisagística completamente descontrolada. Neste contexto, a intervenção reformulou o atual parque de estacionamento, adequando-o às atuais necessidades.

 

As escadas de acesso à praia foram substituídas por novas infraestruturas para que a transposição efetiva da duna permita a regeneração da vegetação dunar. Estas estruturas em plástico 100% reciclado promovem uma maior segurança na circulação pedonal e apresentam reduzidas necessidades de manutenção em relação às tradicionais estruturas em madeira.

 

Foi ainda colocada uma paliçada contínua ao longo da ciclovia inviabilizando a passagem pedonal fora dos passadiços colocados para o efeito.

Empreitada concluída
SINES
 

Porto Covo

Empreitada concluída

A intervenção visou essencialmente a recuperação da vegetação natural que se encontrava bastante degradada face ao pisoteio excessivo, resultante da pressão turística nesta localidade e dada a sua posição de miradouro sobre a entrada do porto.

 

No sentido de conter a degradação pela utilização do automóvel, foi delimitada a área de intervenção junto ao percurso principal em terra batida, que deverá garantir uma largura mínima para a passagem de veículos de emergência e de vigilância/ manutenção e outros ligeiros, para os quais foi criada uma pequena bolsa de estacionamento devidamente sinalizada e balizada.

 

Ladeiam esta bolsa, dois trilhos existentes delimitados por prumos em plástico reciclado que conduzem os visitantes/ caminhantes a um pequeno terreiro que serve de ponto de encontro.

 

Para além dos pilaretes em plástico reciclado delimitadores da circulação pedonal e automóvel, conta-se com a presença de um passadiço sobreelevado; este, só foi proposto e implantado pela aproximação a uma zona mais sensível em termos de valores naturais locais, culminando numa plataforma igualmente sobreelevada com função de miradouro sobre o mar. 

ODEMIRA
 

Zambujeira
do Mar Norte

Empreitada concluída

A intervenção regularizou e delimitou o caminho existente com uma largura mínima indispensável para a circulação de veículos de emergência, assim como de acesso dos moradores à última habitação do arruamento existente, culminando numa bolsa de inversão de marcha.

 

A partir desse ponto, desenvolve-se um passadiço sobreelevado em plástico reciclado, que culmina numa plataforma com função de miradouro num local tradicionalmente denominado por “varandas”, e que sensivelmente a meio diverge para dar acesso a um elemento arquitetónico a “Fonte dos Amores”.

 

Para conter a circulação de pessoas em locais de risco, e onde o pisoteio excessivo coloca em causa a perpetuação de habitats naturais, foi igualmente implantada uma plataforma na base de umas escadas existentes próximas do largo da igreja e adjacentes ao alinhamento de moradias, possibilitando a observação de um dos mais bonitos pôr do sol em segurança. Esta contenção é complementada ainda com a interdição de caminho no final do carreteiro que entronca no percurso de acesso à Fonte dos Amores.

ODEMIRA
 

Alteirinhos-
Carvalhal

Empreitada concluída

O projeto para este troço visou essencialmente a proteção da vegetação natural e ações pontuais de recuperação de zonas degradadas; a intervenção nesta zona é de extrema importância dada a presença de diversos endemismos, em área com vários habitats prioritários, que embora ainda se encontrem em razoável estado de conservação urge preservar através do ordenamento do território e definição de funções.

 

A intervenção regularizou e delimitou o caminho existente com uma largura mínima de circulação para trânsito de veículos de emergência e manutenção, assim como de moradores ou trabalhadores das explorações agrícolas aí existentes. Dada a extensão do mesmo, a delimitação foi interrompida na zona de mata, pois os troncos são por si só elementos de contenção.

 

Nesta zona de elevado risco, as intervenções restringiram-se à valorização ambiental pela erradicação de espécies exóticas infestantes e à regeneração natural ou recuperação da vegetação, procurando uma valorização ambiental efetiva. No entanto, em complemento ao caminho delimitado, e ciente da procura curiosa que as arribas e a vista para o mar sempre exerceram, considerou-se a implantação de passadiços sobreelevados em plástico reciclado que culminam em plataformas tipo miradouros, garantindo sempre uma faixa de proteção em relação à crista da arriba.

EXISTENTE
ALJEZUR
 

Samouqueira

Empreitada concluída

A proposta para este troço assentou essencialmente na proteção, não só dos sistemas naturais em presença, neste caso arriba, mas também e sobretudo, de pessoas.

 

A fenda de tração da Samouqueira identificada, e já referida em bibliografia diversa, representa um risco eminente e grave para a segurança das pessoas, tanto no nível superior como na base da arriba (pequeno areal), sendo previsível, e inevitável, a queda de blocos de grande dimensão.

 

A intervenção consistiu na colocação de uma vedação eficaz, de forma contínua e em toda a extensão deste troço para salvaguardar o afastamento de pessoas que inadvertidamente se poderiam aproximar da área de ação da fenda. Contudo, e fora da faixa de risco (neste caso, faixa com largura igual à altura da arriba), implantou-se uma pequena plataforma ligeiramente sobreelevada que servirá de miradouro sobre a paisagem, que se encontra igualmente delimitada por uma guarda.

ALJEZUR
 

Barradinha

Empreitada concluída

A proposta para este troço incidiu na regularização de acesso e delimitação de áreas tendo em vista a segurança de circulação.

A intervenção prevê o recuo da área de estacionamento para além do que se admitiu como faixa de risco da arriba (metade da altura da arriba) e afastado da faixa de proteção à linha de água, recuperando a zona atualmente compactada.

 

O estacionamento tem uma configuração paralela a via de sentido único e que se desenrola paralelamente ao caminho existente, assim sendo ocupa uma menor área de implantação, requer menor quantidade de material de delimitação, e que pela contenção potencia uma maior segurança de circulação. O restante percurso, condicionado a uso pedonal, desenvolve-se em terra batida até à plataforma de receção às escadas existentes, que foram mantidas.

ALJEZUR
 

Vale dos
Homens

Empreitada concluída

Regularização de acessos, ordenamento do estacionamento e delimitação de áreas tendo em vista a segurança de circulação.

 

O acesso à praia pelo lado de Vale dos Homens Norte, tratando-se de uma área que resulta de operações de aterro pouco consolidado, não apresenta características físicas que permitam a implantação de um acesso em segurança. Assim, a proposta para este troço, previu a interdição de acesso a toda a zona norte, quer areal quer terreiro de estacionamento.

 

A Sul, a delimitação do principal acesso à praia e interdição de zonas, visam conter a contínua degradação do espaço natural e garantir a segurança de pessoas e bens. Dado o valor, e bom estado, da vegetação natural existente nesta porção do território, a intervenção implantou um passadiço sobreelevado parcialmente vedado, desde o estacionamento da zona Sul até ao miradouro, e que contempla leitores de paisagem.

ALJEZUR
 

Carriagem

Empreitada concluída

Recuo da área de estacionamento para além do que se admitiu como faixa de risco da arriba (metade da altura da arriba), recuperando a zona atualmente compactada prevendo a mobilização superficial do solo e a sementeira de vegetação autótone.

 

Os trabalhos incluiram a conclusão das escadas de acesso ao areal.

ALJEZUR
 

Bordeira

Empreitada concluída

Recuperação e proteção da vegetação natural ainda existente e valorização de habitats, nomeadamente da linha de água.

 

A intervenção consistiu na manutenção e delimitação pontual dos três caminhos principais (os constantes na carta militar e aparente acesso a propriedade) e na eliminação de todos os caminhos duplicados, assim como do que se desenrola sobre o topo da duna paralelamente à linha de costa.

VILA DO BISPO
 

Ponta da
Atalaia

Empreitada concluída

Por se constituir como um local de características únicas em termos de apropriação visual da paisagem, a Ponta da Atalaia é hoje um local bastante visitado. Este facto, aliado ao acesso automóvel desregrado contribuíram para uma aceleração da degradação ambiental a que se assiste.

 

A aproximação a esta zona faz-se sobretudo junto à Pousada, pelo que se propôs a construção de passeio em cubo de calcário, promovendo o remate do tecido urbano de uma forma visualmente mais agradável e permitindo a circulação de peões com segurança e conforto.

 

O caminho que atravessa toda a área é delimitado com blocos de pedra local, inibindo a paragem indevida de veículos ou a contínua devassa das margens do caminho que levam à progressiva degradação da vegetação natural.

 

Deste percurso principal, parte um passadiço sobrelevado em plástico reciclado e com guardas de segurança que integra pequena plataforma de estadia e culmina em miradouro sobre a arriba mas respeitando a faixa de risco associada à mesma.

ANTES
DEPOIS
ANTES
DEPOIS
 
VILA DO BISPO

Forte de
Almádena

Empreitada concluída

Dada a situação posicional crítica em termos de estabilidade da arriba, bem como as deficiências estruturais que o Forte de Almádena apresenta, a proposta previu uma intervenção mínima, onde a principal preocupação foi a segurança de circulação de todos quanto visitam o monumento, e o mínimo de interferência com a estrutura ou outros vestígios  patrimoniais que eventualmente existam nas imediações.

 

A circulação pedonal junto ao forte é feita por trilhos delimitados com prumos em plástico reciclado e guia em corda, evitando deste modo o avanço dos visitantes para a faixa de risco geológico; a mesma medida é tomada no interior do Forte.

EXISTENTE
PROPOSTA
Depois
Acionistas
Financiamento

Polis Litoral Sudoeste, Sociedade para a Requalificação e Valorização do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, S.A.(em liquidação)

Rua Serpa Pinto, n.º 32

7630-174 Odemira

 

geral@polislitoralsudoeste.pt

Tel 283 300 050

Fax 283 322 130

© 2014 Polis Litoral Sudoeste.

by CDB, Designing Business

Carreagem, Aljezur (depois)